14 regras de prevenção de acidentes na piscina

acidentes-piscina

Para as crianças, a época balnear é sinónimo de divertimento na praia/piscina. Infelizmente, é muitas vezes nesses momentos de lazer que ocorrem acidentes, muitos deles fatais. Nunca se esqueça e mantenha sempre as crianças sob vigilância. Veja as dicas:

1- Coloque limite às crianças em redor da piscina. Cerque a área da piscina e feche o acesso com um portão que não possa ser aberto por uma criança. A criança nunca deve permanecer na piscina sem vigilância.

2- Diga e repita ao seu filho que não ande nem corra na área da piscina. Os pisos ao redor das piscinas são escorregadios. As crianças só devem entrar e sair da piscina através das escadas.

3- Se o seu filho já sabe mergulhar de cabeça na piscina, aconselhe-o a não mergulhar em piscinas rasas. Tanto ele como os pais devem observar bem antes de mergulhar, para evitar colisão com outros mergulhadores ou bater com a cabeça no fundo da piscina.

4- Ensine o seu filho a ser responsável na piscina e a respeitar as suas limitações. Que nade somente na profundidade em que se sinta confortável e seguro.

5- A criança deve ser acompanhada mesmo que a piscina tenha a presença de um salva-vidas. É útil fazer-lhe companhia e observá-lo enquanto nada, até que tenha segurança para nadar sozinho.

6- Não permita brincadeiras violentas na piscina, como empurrar,  brincar aos afogamentos, etc. Não é aconselhável brincadeiras de lutas ou “cavalinhos” na piscina. Uma pancada na cabeça nas paredes pode levar à inconsciência e resultar em afogamentos.

7- Se a criança comer, não deve nadar depois. O ideal é que espere pela digestão. Nadar com a barriguinha cheia pode causar transtornos gastrointestinais.
8- Mantenha a piscina sempre limpa e saudável. Ensine o seu filho a tomar duche antes de entrar na piscina e sempre sem comidas e bebidas. Além de poder sujá-la com isso, os copos potenciam o risco de vidros partidos no fundo da piscina. Evite entrar com roupas que não sejam apropriados, como calças, camisas ou fraldas.

9- Atenção para a sucção. A água da piscina está em constante filtração, um sistema que “puxa” a água para o filtro através dos buracos espalhados pelas paredes e fundos da piscina. Esses orifícios podem sugar os cabelos da criança e mantê-la submersa. Crianças com cabelos compridos devem estar especialmente atentas para esse risco e o uso de toucas é recomendado.

10- Atenção às armadilhas submersas. Muitos utensílios podem prender uma pessoa por debaixo da água da sua piscina. Algumas escadas possuem espaços que podem prender uma criança. Por isso, fique sempre atento aos detalhes da sua piscina.

11- Crianças e piscinas – atenção redobrada. É muito importante para o desenvolvimento da criança que frequente a piscina e pratique desportos como a natação. Mas é preciso manter uma atenção especial quando crianças estão na água, pois podem afogar-se rapidamente e em qualquer profundidade.

12- É importante que os pais aprendam a nadar e ensinem os filhos também.

13- O uso das bóias é importante, mas não se esqueça que elas não substituem a supervisão de um adulto.

14- Tenha sempre o equipamento básico de salva-vidas próximo da piscina. As bóias e cordas são recomendadas.

Uma criança reanimada imediatamente tem 5 vezes mais hipótese de sair ilesa de um afogamento. Aprenda a fazer reanimação cárdio-respiratória. Se ocorrer um acidente por submersão e a criança parar de respirar, saiba como agir:

  • Tenha um telefone portátil à mão ou localize previamente o telefone mais próximo
  • Se possível, alerte o nadador salvador
  • Chame o 112 e dê indicações precisas sobre o local onde se encontra
  • Se souber, inicie a reanimação cárdio-respiratória e mantenha-a até à chegada da ambulância. Este gesto pode salvar uma vida!

Fonte: Guia Infantil e CUF

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *