2017: já conheces os aumentos de preços para este ano?

Preço

Passada a época festiva e a primeira semana do ano, são horas de fazer contas. Há alguns preços que mudaram logo no dia 1, tanto para mais como para menos. Se ainda não te informaste sobre estas mudanças, deixamos-te aqui uma lista com boas e más notícias sobre preços de bens e serviços para este ano:

Rendas

Apesar do aumento, é uma boa notícia para o inquilino. A atualização anual das rendas para este ano sofre um aumento bastante residual. Por cada mil euros de renda, o valor do aumento é de 5.4€.

Eletricidade

O aumento é de 1.2% e é o que afeta mais pessoas, principalmente os consumidores que ainda não mudaram para o mercado livre. Este aumento representa uma subida de 60 cêntimos por cada fatura de 50 euros. Esta alteração foi definida pela ERSE (Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos) e poderá também afetar os consumidores do mercado liberalizado, já que as operadoras definem as tarifas reguladas.

Transportes públicos

Se compras o passe social podes contar com um aumento de 1.5%, cerca de 45 cêntimos por cada 30€ gastos. No entanto nem tudo são más notícias: este aumento pode ser anulado já que vai ser possível deduzir o IVA dos transportes (6%) no IRS. Para isso basta pedires fatura com contribuinte.

Automóveis

Caso estejas a pensar em adquirir um automóvel este ano, fica a contar com um aumento médio de 3% no Imposto sobre Veículos (ISV), taxa que é paga na hora da matriculação. Ao mesmo tempo, há também uma subida média de 0.8% no Imposto Único de Circulação (IUC), imposto que é pago todos os anos no mês de aniversário da matrícula. Caso tenhas um veículo mais poluente a subida do IUC pode chegar aos 6.5 e 8.8%.

Portagens

Há uma subida de menos de 1% no preço, o que se traduz numa subida entre 5 a 10 cêntimos na maioria das portagens. No caso da A1, o troço Porto-Lisboa passa a custar mais 25 cêntimos que em 2016.

Refrigerantes e bebidas alcoólicas

Para os refrigerantes, o aumento está ligado ao novo imposto sobre as bebidas com açúcar e só entra em vigor a 1 de Fevereiro. O aumento depende da quantidade de açúcar presente por litro: no caso da Coca-Cola há um agravamento de 20 cêntimos por cada litro da bebida. No caso das bebidas alcoólicas há um aumento de 3% na taxa do imposto (IABA), mesmo para as bebidas que não eram taxadas, caso da sidra e do espumante.

Tabaco

A subida do preço dos maços de tabaco não é novidade para os fumadores, já que é recorrente no início de cada ano. Há um aumento de 3% na chamada taxa do elemento específico. A diferença no preço final pode variar consoante a margem que as tabaqueiras assumam, mas o aumento pode ir até aos 10 cêntimos. No caso dos cigarros electrónicos há uma redução de cerca de 50% no imposto sobre o líquido que contém nicotina.

Medicamentos

O preço dos medicamentos continua em queda e a ideia para este ano é que o valor dos fármacos não baixe mais de 10%. Os medicamentos genéricos vão manter os preços e os outros terão uma descida constante ao longo do ano.

 

Fonte: Público e Saldo Positivo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Excedeu o tempo limite. Por favor preencha o CAPTCHA de novo.