Ansiedade: O que é e como podemos lidar com ela

ansiedade

A ansiedade é um estado comum entre a população mais jovem, os chamados Millennials. Tão comum que se estima que 1 em cada 14 pessoas, em qualquer canto do globo, acaba por vir a sofrer de um transtorno de ansiedade. Segundo dados de 2013, trata-se da doença mental mais prevalente em Portugal, afectando 16.5% da população.

De certa forma, todos nós, de uma maneira ou de outra, sofremos de ansiedade. Seja por um exame da faculdade, uma entrevista de emprego ou estarmos fora do nosso campo de segurança, a ansiedade em si não é um problema e até nos pode ser útil, dependendo da situação. Esta faz-nos mover mais rapidamente, prepara-nos para lutar contra a ameaça e responder.

A dificuldade em gerir a ansiedade é que é algo preocupante. Ver perigo em situações que não representam ameaça, considerar constantemente que algo mau pode vir a acontecer, sensação de vergonha, frustração, tristeza e desanimo, reacções físicas como ritmo cardíaco mais acelerado, aperto no peito, músculos tensos, tonturas e fraquezas e um certo desligamento.

A ansiedade tem potencial para diminuir a nossa qualidade de vida: provoca stress emocional e a concentração e a memória sofrem. O transtorno acontece quando a ansiedade se torna insuportável e começa a afectar o nosso quotidiano. Pode ser o resultado de uma combinação de factores: predisposição genética ou experiências traumáticas.

O Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) é um estado de preocupação crónica: a preocupação é repetitiva (muitas vezes diária) e difícil de controlar. Sente-se também inquietação, cansaço, tensão muscular, dificuldades de concentração e irritabilidade. Os ataques de pânico são recorrentes. A TAG é um dos problemas mentais mais comuns e costuma desenvolver-se por volta dos 30 anos. Geralmente estas pessoas sentiram-se ansiosas e nervosas durante toda a vida.

Nunca pense que está sozinho com este problema. Algumas personalidades como Adele, Robbie Williams, Jennifer Lawrence e Johnny Depp também apresentam dificuldades em controlar a ansiedade. O importante nestes casos é não procurar o isolamento nem se apoiar em substâncias prejudiciais como o álcool, o fast food e os açúcares. Deixamos aqui algumas alternativas naturais que ajudam a ultrapassar esta fase, ajudam a alcançar a tranquilidade e melhoram a qualidade de vida:

  • Praticar exercício físico: alivia os sintomas depressivos porque eleva a produção de serotonina, uma substancia que aumenta a sensação de prazer. Caminhar três vezes por semana, cerca de meia hora, alivia a ansiedade e pode ser usado para trabalhar a mente, como forma de meditação activa.
  • Meditação e ioga: este tipo de exercícios oferece ao praticante a possibilidade de aprender a controlar a mente e corpo através de uma combinação de técnicas respiratórias e corporais.
  • Relaxamento muscular e massagens: ajudam a diminuir a tensão arterial, o cansaço e melhoram os ciclos de sono. Algumas massagens orientais também ajudam no equilíbrio emocional.
  • Controlo da respiração: serve para reduzir as reacções do sistema nervoso. Deve ser uma estratégia de rotina, tal como o exercício físico.
  • Procurar actividades que nos dão prazer: retomar hobbies e perceber o que realmente se gosta de fazer. Cinema, corrida, voluntariado ou pintura, são alguns dos exemplos.
  • Investir em alimentos calmantes: beber um chá de camomila ou um sumo de maracujá, acompanhado de ingredientes como alface, maçã, mel, uvas, laranjas e ovos, que têm um poder calmante e ajudam a relaxar os músculos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *