Vamos ensinar às crianças o valor do dinheiro?

dinheiro

A maioria dos pais sabe a importância de ensinar as crianças a ler, mas poucos são aqueles que encorajam a aprendizagem sobre o dinheiro. A iliteracia financeira das crianças é uma epidemia dos dias de hoje. O mais recente estudo da OCDE-PISA identificou que apenas 15% das crianças com 15 anos são capazes de tomar decisões simples sobre os seus gastos diários, o que não é nada positivo.

Responsabilidade financeira significa, ao mesmo tempo, saber poupar e saber gastar. Se as crianças não aprenderem o que é responsabilidade financeira em pequenos, vão ter dificuldades em gerir o seu dinheiro em adultos. As escolas estão a começar a reconhecer a importância da educação financeira, apesar do processo ser lento. Ao mesmo tempo, surgem iniciativas independentes como o My Finance Coach, uma organização sem fins lucrativos que tem como objetivo aumentar a literacia financeira das crianças entre os 10 e os 16 anos.

Ficam aqui algumas dicas para os pais colocarem os filhos no caminho certo, para um futuro próspero:

Dos 3 aos 5 anos:

Antes das crianças entrarem no pré-escolar, já devem ter aprendido alguma coisa sobre recompensas. É um bom momento para ensiná-las sobre o dinheiro. As crianças destas idades são capazes de compreender que têm de guardar dinheiro para comprar alguma coisa. Uma das formas de ensinar as crianças é oferecer dois mealheiros, um com a inscrição “gastar” e outro com “poupar”, para criar um limite visual e físico.

Dos 6 aos 10 anos:

A partir do momento em que as crianças entram na escola primária devem fazer parte do plano de responsabilidade financeira da família. Devem-se discutir os gastos com as crianças, inseri-las nos processos de decisão, como por exemplo, se vale a pena gastar mais 50 cêntimos numa geleia de morango de uma marca conhecida, que é tão saborosa como a geleia de marca branca e mais barata. A lição mais importante a ser retirada nestas idades é que o dinheiro é finito. Assim, como é algo limitado, devem decidir onde é que realmente importa gastá-lo e arranjar maneiras de lutar por ele.

Dos 11 aos 13 anos:

Ensinar algo a crianças torna-se cada vez mais complicado com o aproximar da adolescência. O truque pode consistir em deixar de parte os mealheiros e apostar nas aplicações digitais, como por exemplo a FamZoo – um banco familiar online e virtual. Os fundos são geridos pelo banqueiro (os pais) nas contas IOU ou em cartões pré-pagos. Os parâmetros são quase ilimitados. Os pais podem configurar subsídios automatizados, oferecer pagamentos por tarefas domésticas ou pequenos biscates, configurar folhas de pagamento, estabelecer orçamentos e muito mais. Ensinar as crianças através de aplicações móveis como o FamZoo faz com que se tornem adolescentes mais bem preparados para gerir contas poupança, pagar com cheques ou criar um orçamento pessoal no futuro.

Por último, e não menos importante, os pais têm de ser bons exemplos. As crianças estão atentas a todos os movimentos e compras dos adultos!

 

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Excedeu o tempo limite. Por favor preencha o CAPTCHA de novo.