O melhor da Europa para conheceres em 2017

Os especialistas do Lonely Planet – responsáveis por aqueles que são considerados os melhores guias de viagem – já divulgaram a lista dos melhores destinos para viajar este ano. E há três destinos portugueses com lugar de destaque: Lisboa está no top das melhores cidades, o Porto foi eleito como destino acessível e os Açores como uma das melhores regiões.

Como 2017 é rico em feriados que permitem tornar os fins-de-semana prolongados, deixamos aqui algumas dicas para aproveitares os melhores destinos europeus para este ano:

Finlândia                                     

Este ano a Finlândia comemora 800 anos de independência da Suécia e da Rússia e preparou diferentes celebrações espalhadas pelas suas regiões. Concertos, experiências culinárias, noites de sauna e exposições são algumas das atrações que os finlandeses estão a preparar para quem os for visitar em 2017. Também este ano, a Finlândia vai inaugurar um novo parque nacional com cerca de 11 mil hectares, em Hossa, rodeado de florestas e cruzado por vários rios. Para finalizar, acolhe o Campeonato Mundial de Patinagem Artística e os Campeonatos Mundiais de Esqui Nórdico. Este país nórdico, com milhares de lagos e ilhas, terra do Pai Natal e do sol da meia-noite, é o único país europeu escolhido para o top de países da Lonely Planet.

Bordéus, França

Era chamada de “Bela Adormecida” mas parece que agora já está bem acordada e pronta para a ação. Com a ligação TGV Sul-Oeste que vai estar concluída em meados de 2017, o acesso a esta cidade do sul de França vai ser mais facilitado, já que este comboio vai ligar Paris a Bordéus em apenas 2 horas. A Cité du Vin, um centro cultural e turístico sobre a cultura vinícola, inaugurada em 2016 nas margens do rio Garonne, deu um enorme impulso cultural à cidade, juntando a experiência dos amantes de vinho à revolução gastronómica.

Ohrid, Macedónia

Ohrid tem uma vista privilegiada para as águas extraordinariamente azuis do seu lago homónimo. É uma cidade Património Mundial da UNESCO e era considerada o centro religioso da Macedónia – actualmente é um resort de férias bastante movimentado, já que é um país sem zona costeira. 2017 é um ótimo ano para se visitar esta zona, já que se está a tornar cada vez mais turística, devido à sua fama paradisíaca.

Pistoia, Itália

É considerada uma “pequena Florença”, devido à concentração de cultura e arte em tão pequena área. No entanto, Pistoia foi escolhida para ser a Capital da Cultura Italiana para este ano, devido à sua personalidade viva em cultura e empreendimento local. Esta pequena cidade da zona da Toscana aguarda a visita de turistas mais alternativos e que procuram cultura longe do turismo em massa.

Moscovo, Rússia

Com a desvalorização do rublo em relação ao euro, não podia ser melhor altura para visitar a Rússia. Moscovo não é uma cidade barata nem facilmente acessível, mas tem vindo a melhorar com a chegada de rotas low-cost. Este ano vai receber a Taça das Confederações e em 2018 recebe o Mundial de Futebol. As remodelações e inaugurações na capital são evidentes e caracterizadas por uma arquitetura moderna: há um novo aeroporto, novas rotas de metro, uma nova atração – o Museu Politécnico, um dos mais antigos museus de ciência do mundo, completamente remodelado.

Norte de Gales, Reino Unido

Na zona norte do País de Gales há uma atração que anda a chamar muitos amantes do surf: chama-se Surf Snowdonia e é a maior e mais antiga lagoa com ondas surfáveis do mundo. As ondas são formadas por maquinaria de uma antiga fábrica de alumínio. Continuando numa onda mais radical, no Norte do Gales também podes encontrar o mais rápido slide do mundo e também o mais extenso da europa e trampolins gigantes amarrados nas cavernas, tudo isso no parque de aventura ZipWorld. Para quem não gosta de aventura, há também o Parque Nacional da Snowdonia – o maior do País de Gales – onde há uma reserva de “céu-escuro” para observação astronómica.

The Skellig Ring, Irlanda

Reza a lenda que há muito muito tempo um grupo de monges estabeleceu uma base oculta num pedaço de terra no meio do oceano Atlântico, na forma de um triângulo gigante. Não é de admirar que a ilha de Skellig Michael esteja na lista de locais das filmagens de Star Wars, no Filme “O Despertar da Força”, na cena onde Luke se esconde. Para chegares a esta ilha tens de apanhar um barco a partir do Skellig Ring, uma zona de costa selvagem da Irlanda. A Ilha de Skellig Michael vai desempenhar um papel mais importante no próximo filme da saga Star Wars e espera-se um enorme aumento de visitantes.

Veneza, Itália

Veneza foi considerado um dos destinos acessíveis para este ano, o que pode parecer estranho para a maioria das pessoas. Com a chegada do Airbnb à cidade, o alojamento tornou-se bastante mais barato, já que as pessoas podem poupar tanto na dormida como na alimentação, por poderem cozinhar. Com esta poupança é possível aproveitar mais do que Veneza tem para oferecer, já que pode ficar alojado nas zonas mais centrais.

Debrecen, Hungria

Budapeste não é a única beleza que a Hungria nos tem para oferecer. Debrecen vivia um pouco à sombra da capital, mas com a chegada das companhias aéreas low-cost à segunda cidade húngara, os visitantes internacionais são cada vez mais comuns. É rica em história mas, nos últimos anos tem vindo a ser modernizada, devido a investimentos estrangeiros, e ganhou vida com festivais de verão. Debrecen ainda é parte da visão romântica da Hungria e a sua localização, na zona das planícies orientais, é uma mais-valia para os visitantes que ainda podem ver cowboys em ação no Parque Nacional de Hortobágy.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Excedeu o tempo limite. Por favor preencha o CAPTCHA de novo.