Os mitos da alimentação vegetariana

alimentação

Os vegetarianos são muitas vezes considerados como excêntricos por aqueles que não imaginam a sua vida sem um bom bife com batatas fritas ou um peixe grelhado. A verdade é que o número de vegetarianos tem vindo a aumentar nos últimos anos, seja pela tendência para um estilo de vida mais saudável, ou porque agora estamos mais atentos às nossas intolerâncias. Os vegetarianos não ingerem qualquer tipo de animal e podem optar por ingerir, ou não, ovos e alimentos lácteos, como é o caso dos ovo-lacto-vegetarianos que não comem carne nem peixe mas incluem na sua dieta produtos de origem animal como os ovos, leite ou queijos.

Os vegetarianos são ainda imaginados por muitos como pessoas que só ingerem comida verde, alface, espinafres, e todos os legumes e frutas existentes. Na realidade, como substituto da carne e do peixe, muitos vegetarianos optam por comer tofu e seitan.

A dieta dos não vegetarianos tende a ser excessiva na ingestão de proteinas, neste sentido, as pessoas que optam por um estilo de vida livre de produtos animais tendem a ter uma dieta mais equilibrada a nível proteico, através da ingestão de leguminosas, isto é, lentilhas, feijão ou soja, por exemplo.

Ao contrário do que se possa imaginar ser vegetariano não deve ser visto como uma forma de dieta. O objetivo é que uma pessoa que opte por este regime alimentar substitua a ingestão de alimentos animais ou de origem animal por outros, mas ingerindo o mesmo número de calorias por dia. Além disso, o açúcar e os fritos não estão proibidos numa dieta vegetariana, e estes são os principais inimigos da dieta.

O facto de os vegetarianos deverem cumprir a ingestão diária de calorias recomendada para cada um de nós e terem uma alimentação equilibrada e variada é sinal de que todos podemos optar por este estilo de vida, mesmo as grávidas e as crianças.

Esta escolha pode ser estranha ao nosso corpo nos primeiros tempos, neste sentido é recomendado que o processo seja gradual, começando por diminuir a carne lentamente, por exemplo para uma vez por semana, depois retirar gradualmente o peixe, ao mesmo tempo que se vão introduzindo mais legumes e cereais na alimentação.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *